As penas

As penas

  Uma mulher de língua afiada foi acusada de espalhar um boato. Quando a levaram perante o rabi da aldeia, desculpou-se:

— Não passou tudo de uma brincadeira e não tenho culpa de que as minhas palavras tenham sido espalhadas por outros.

Contudo, a vítima exigia que fosse feita justiça, dizendo:

— As tuas palavras destruíram o meu bom nome!

A mulher retorquiu:

— Retiro o que disse e, assim, anulo a minha culpa.

Quando o rabi ouviu estas palavras, percebeu que a mulher não compreendia o alcance do crime que cometera. Disse-lhe então:

 ler...